domingo, fevereiro 14, 2010

Maníaca dispersiva

Quando eu era adolescente, minha mãe dizia que eu era a "maníaca dispersiva" predileta dela. r*****
Terminar alguma coisa era um grande desafio. O problema nunca foi capacidade, mas sim o triste fato de que eu enjôo de fazer uma mesma coisa por muito tempo. Preciso, necessito de variedade. Ficar olhando uma mesma cor por muito tempo me cansa, admito! Isso se reflete em esmalte de unha, roupa... Ainda bem que não olho a minha maquiagem o tempo todo, assim consigo usar um mesmo batom por bastante tempo. ;-)



Até meus 20 anos, só fiz peças pequenas de tricô ou crochê ou bordado. Tenho um caminho de mesa pela metade em crochê filet que eu não vou terminar, nunquinha, jamais. Comecei aos 19 anos e enjoei de tal modo daquilo que não há jeito de me convencer a pegar de novo! Ele fica num canto aqui de casa para me lembrar de começar somente aquilo que tenha desafio suficiente para me interessar pelo tempo necessário para terminar a peça. :-P

E eu ainda tenho fases. Vez em quando só quero saber de tricô. Ou de bonequices e suas roupinhas. Ou de patchwork: em um mês, termino colchas inteiras, lindas e maravilhosas. No momento, 3 delas esperam minha vontade de quiltar. E a vontade tem que combinar com a disponibilidade de tempo! Do que adianta ter vontade e estar ocupadíssima com trabalho? Com isso, o tempo passa e as coisas ficam largadas por mais tempo que eu gostaria...

Meu marido fica doido com isso, pra ele é difícil de aceitar coisas inacabadas. E eu mesma reconheço que também me irrita, afinal, é muito mais divertido ter a peça concluída que pela metade! Abro uma concessão e aceito essa "falha comportamental" nos meus passatempos porque não posso jamais fazer o mesmo no serviço, né. ;-)

Ainda assim, acho que consigo terminar muitas peças, considerando o pouco tempo que sobra para fazê-los. A maturidade trouxe uma certa paciência que eu não tinha aos 20 anos. Vantagens da idade? :-P Pode até ser... Mas os cardigans e pulôveres que eu mesma faço são bem confortáveis! E quando você que faz a peça, pode controlar muito melhor os resultados. Isso sim dá um prazer danado de bão!

Agora, meu desafio atual (continuação do ano passado) é terminar essas peças, liberar o espaço. Nada de comprar mais material sem antes consumir a quantidade enorme que tenho aqui.
E como alcançar esse objetivo? Afinal, todo mês aparece coisa linda que dá coceira pra fazer... :-D
Pra começar, vou relacionar tudo que pretendo fazer e definir um prazo. A listinha To Do básica.
Vou colocar uma certa elasticidade e mãos à obra. Ah, as últimas fofices estão no Blythezuras: www.blythezuras.blogspot.com
E todas são recentes, feitas de janeiro pra cá... ;-)
Mas o xale aí de cima precisei desmanchar, a linha não foi suficiente pra terminar. Peninha...

4 comentários:

Carlinha disse...

Acho que também sou maníaca dispersiva! rsrsrs
visite meu blog! vais gostar, sou de SC tb.

Quimera disse...

Finalmente, achei alguém que me entende!!!
Levei um ano pra fazer aquele cachecol, comecei outro e está lá, paradinho! hehehehehe
Beijosss

Para cabeças em chamas, mais combustível. disse...

Oi Lia... Lendo seu texto sobre a maníaca dispersiva... Não sei se o termo correto é este. Isso deve ser uma crise pós-moderna, creio que é sim... Mas, enfim. Veja mais sobre procrastinação. Eu sou igualzinho e me dá uma raiva da procrastinação.

Bjs

Lia disse...

Oh, a questão nem é se esse é (ou não) o termo mais adequado... Era assim que minha mãe chamava! :-)
E, verdade seja dita, eu era assim desde sempre. Agora que consegui gerenciar em parte, apesar de todas as tentações do excesso de informações que temos atualmente.
Mas ainda preciso tomar cuidado, senão algo chama a minha atenção e...
Pronto, lá fui eu. Olha lá, bem ao longe... r****


Bjs!