sexta-feira, agosto 05, 2011

Segredinhos das lãs

Por ter morado um bom tempo em Santa Catarina, onde faz frio de abril a outubro, precisei descobrir como me manter quentinha e confortável. Lá fui ler e xeretar, especialmente no Ravelry, o que me levou a descobrir coisinhas interessantes sobre tricô e seus materiais...

Por exemplo: para evitar que a meia fique escorregando na perna, os punhos das meias não podem ser nem muito justos nem largos demais. Se estiver justo, vai apertar e fica desconfortável. E depois escorrega perna abaixo, do mesmo jeito que a meia com punhos largos demais. E isso vale também pras meias que a gente compra por aí!

Outra manha é que, pra ficar confortável no inverno, o fio escolhido precisa ter lã. Não adianta tricotar meia ou pulover de fio 100% acrílico: o que realmente vai nos deixar confortáveis é a lã, lã mesmo, que por ser uma fibra animal retém até 50% de seu peso em umidade. Ou seja, se você suar, a lã absorve a umidade sem ficarmos com aquela sensação horrorosa que o acrílico deixa. Saca pé suado? Irc. E depois que esfria, esse pobre pé gela e não há o que aqueça. Não se passa por isso com lã porque, justamente por ser fibra animal, ela é térmica e não abafa como o acrílico. Se houver flutuação entre frio e calor, você continua "de boa", mesmo se suar.

Mais uma característica da lã: ela tem uma certa elasticidade que fibras como o algodão não possuem. A lã mantém a forma muito melhor que o algodão. É só lembrar daquele pulover lindo de puro algodão que fica que nem um saco depois de algumas lavagens...

Por essas e outras vale gastar um pouco mais de dindin e comprar um fio com lã. Pode ser uma mescla, tipo o Sedificada, que contém 30% de lã e aguenta legal a máquina de lavar (é o que uso pra fazer meias de dormir no inverno). Falando nisso, um dos maiores problemas é que lã encolhe se não souber lavar, né. A lã contém muita lanolina, que sai nas lavagens mais pesadas. Se lavar em água quente e esfregar, pronto, babaus. A danada feltra e encolhe até 30%. Para evitar esse problema, há opções. Podemos comprar uma lã mista, com algo entre 30% a 70% de outra fibra, seja algodão ou fibra criada pelo homem (nylon, poliamida ou mesmo o acrílico) ou então tem que aprender a cuidar das peças 100% lã.

Como eu tenho alguns twin-sets de lã, precisei aprender a lavar. Passei um perrengue quando quase encolhi meu casaquinho predileto (mistura de cashmere e seda, divino de macio, encolheu um cadinho por secar ao sol, baita erro!). Esse jeito de lavar é trabalhosinho, mas simples, já fiz algumas vezes.

Pra começar, separe as peças claras das escuras.
Prepare um molho com sabão de côco líquido ou sabão para roupas delicadas.
Coloque a peça, sem esfregar nem balançar nem chacoalhar.
Deixe a peça mergulhada quietinha de 1 a 3 horas.
Retire a peça, sem torcer, sem esfregar nem nada, e amasse com delicadeza pra tirar o excesso de sabão.
Encha o balde com água FRIA (isso é importantíssimo!), mergulhe a peça e deixe uns minutinhos.
Repita o processo de tirar da água, amassar pra tirar o excesso de água e passe novamente na água limpa até tirar o sabão.
Se a peça estava "arranhando" a pele quando seca, passe uma água com um pouco condicionador de cabelo que vai ficar diliça. (Lembra? Fibra animal? Então.)
Na última água, eu coloco um pouco de vinagre, o que garante a retirada completa do sabão.
Jogue fora a água de vinagre e coloque a peça, pode ser empapada de água mesmo, na máquina de lavar.
Programe um ciclo de centrifugação (sem enxágue, por favor!).
Quando a máquina terminar de centrifugar, a peça estará praticamente seca.
Agora vem a manha: malhas de lã e fibras similares precisam secar esticadas sobre um varal. Não pode pendurar de jeito algum! Então eu estico sobre as varetas de um varal de piso e deixo a noite toda.
Outra opção é colocar uma toalha esticada sobre uma superfície reta (tipo a parte de cima da própria lava-roupa ou mesmo no chão) e esticar a peça de lã em cima.
O vento e o tempo terminam o serviço. E lembre de deixar a peça na sombra!

Aqui no Brasil temos poucos fios de lã, pelo menos até agora. A Aslan chegou a lançar alguns fios maravilhosos, como o extinto Oxford, que só durou uns 2 anos. Decidiram tirá-lo do mercado porque o fiozinho não vendeu bem por aqui, embora o gerente da Aslan tenha me contado que nos EUA esses fios vendem como água... Então o melhor da produção deles acaba sendo exportado. Peninha, mas ainda temos algumas opções. O fio Merino, da Cisne, tem 50% de lã merino e parece ser perfeito pra cardigãs. Tem outros mais, claro. E algumas sortudas ainda encontram preciosidades como o Passion, da Pingouin, em armarinhos com estoque antigo... ;-)

Nenhum comentário: